Pesquisa vai mapear áreas de alagamento e falta d’água em CG

Dez alunos de graduação e pós-graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) estão realizando um trabalho de campo para identificar áreas de risco a alagamentos e falta de água em Campina Grande, no Agreste da Paraíba.

O levantamento é coordenado pela pesquisadora Priscila Barros Ramalho Alves, mestre em engenharia civil e ambiental pela UFCG, que atualmente cursa doutorado na Universidade de Exeter, na Inglaterra. Na terça-feira (18), representantes das duas instituições de ensino e prefeitura reuniram-se na sede do Sebrae para discutir estratégias para o enfrentamento dos problemas.

“Os casos de alagamentos e escassez hídrica de Campina Grande estão sendo integrados através de uma abordagem espacial e participativa, por meio de disponibilização de dados, análise e participação de workshops, questionários e entrevistas”, esclareceu Priscila, que desde o dia 15 de maio coordena a pesquisa de campo, coletando dados com especialistas, autoridades e moradores da cidade.

Denominado Planejeee (Planeje Eventos Extremos), o projeto tem como objetivo guiar decisões e ações do poder público no sentido de minimizar os danos causados por desastres na cidade de Campina Grande. Inclusive, na reunião realizada na terça-feira, representantes do município estiveram presentes para conhecer a iniciativa da pesquisadora.

A tese de Priscila discute aspectos sobre secas e alagamentos, multidesastres, modelagem adequada de extremos, pessoas mais vulneráveis e estratégias para a mitigação de danos. Estudos anteriores da cientista já indicavam que grande parte do território de Campina Grande é caracterizada por áreas com média e alta susceptibilidade a alagamentos, havendo recorrência de inundações na área urbana, principalmente no período de chuvas intensas e concentradas, trazendo consequências negativas para a população.

Até o momento, 171 cidadãos já contribuíram com a pesquisa, através da aplicação de questionários e entrevistas realizadas em áreas de risco a alagamentos e falta de água da cidade.O Planejeee é financiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e faz parte das atividades do Centro de Sistemas Hídricos (Centre of Water Systems) da Universidade de Exeter).

OP9/PB

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta