Sem servidores e diretor, alunos de escola estadual de CG enfrentam dificuldades

Alunos da Escola Estadual São Sebastião, que fica no bairro do Alto Branco em Campina Grande, estão enfrentando problemas por conta da falta de diretor e da diminuição do quadro de servidores. Os impactos são diversos, desde problemas pequenos como não ter quem autorize uma transferência ou faça uma declaração até a falta de gerenciamento para questões mais complexas, como a substituição de professores que por alguma razão estarão afastados por um determinado período de tempo das salas de aula.

O número de servidores também diminuiu. Segundo a Associação dos Professores de Licenciatura Plena do Estado (APLP), faltam profissionais para portaria e até cantina na instituição de ensino, o que prejudica até a merenda dos estudantes. A diminuição teria acontecido porque o contrato com uma organização social (O.S) teria chegado ao fim no dia 31 de julho.

De acordo com o vice-presidente da APLP, professor Odenilson Medeiros, os problemas na Escola Estadual São Sebastião seriam apenas um reflexo do que acontece na rede pública de ensino no Estado da Paraíba. “É uma situação delicada. Sem o gestor a administração não funciona, ela fica um barco à deriva. Os funcionários ficam sem um norte porque a gestão é quem coloca a escola para funcionar. O Estado precisa tomar as providências. Muitas escolas ficaram sem os gestores até o segundo bimestre. O São Sebastião é uma situação mais difícil ainda”, disse.

Resposta do Estado

A gerente da Terceira Regional de Ensino, que responde pela região de Campina Grande, disse que a gestão da escola já foi nomeada. Erica Santana ainda pontuou que na escola ainda existe a coordenadora pedagógica, que junto com o presidente do conselho está à frente da instituição. Sobre a diminuição de servidores ela disse desconhecer a informação.  

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta