Violência doméstica é porta de entrada para feminicídio, diz delegada

Entre janeiro e abril foram contabilizados 10 casos de feminicídio na Paraíba, de acordo com dados da Delegacia da Mulher. No ano passado foram registrados 34 casos em todo o Estado, quatro em Campina Grande. Segundo a delegada titular de Campina Grande, Maíra Roberta, os crimes, em via de regra, tem ligação direta com com outro crime: violência doméstica.

“A gente sempre fala que o feminicídio não acontece de uma hora pra outra, ele vem se anunciando em relações abusivas. Inicialmente vem a violência psicológica , que é quando o homem proíbe a mulher de sair, de se vestir de determinada forma. Depois vem a violência moral, que é exatamente o início das injúrias a partir do momento que a mulher não faz o que o homem quer. Após isso vem as agressões e por fim o feminicídio”, explicou.

Segundo a delegada, só agora a sociedade está começando a tratar o crime de maneira mais repressiva. “A sociedade tinha uma certa tolerância ao crime. Se perguntava o que ela fez para acontecer isso? Com a tipificação do crime, o crime foi tratado com uma pena bem mais grave, e o tema foi tratado com a devida importância”, lembrou.

A delegada orienta que vítimas de relações abusivas procurem a Delegacia da Mulher, que funciona diariamente na Central de Polícia de Campina Grande. Quem mora em cidades onde não há delegacia especializada da mulher deve buscar o serviço de uma delegacia normal.

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta