Ensino de língua espanhola é aprovado para escolas municipais de Puxinanã

O ensino da língua espanhola deve virar regra no ensino fundamental dois e no EJA (Educação de Jovens e Adultos) no município de Puxinanã, no Agreste paraibano. Os estudantes devem ser contemplados com a nova disciplina a partir da aprovação de um Projeto de Lei que foi aprovado, por unanimidade, esta semana da Câmara Municipal de Puxinanã,  a “Casa de Zoroastro Coutinho”. O Projeto de Lei 07/2019 segue para sansão do prefeito Felipe Coutinho (PRB).  

O projeto estabelece o ensino da língua espanhola seja colocado em prática no período máximo de seis meses. A disciplina deve ter no mínimo duas horas-aula por semana. A Câmara ainda solicita que o município inclua nos próximos concursos públicos vagas para professores de espanhol.

A matéria é de autoria do vereador Luiz do Nascimento Alves (Podemos), o Didi da Farinha, que é presidente da casa. Em sua justificativa, o parlamentar lembra que “Em todas as escolas de educação básica de nossa nação se estuda inglês, logo no primeiro ano, mas algumas requerem a adição de uma segunda língua estrangeira no Ensino Médio, devido a oferta no ENEM. Sendo o espanhol a língua mais aproximada da nossa língua materna é escolhida por 80% dos alunos de escola pública no exame. Desta forma, torna-se necessário proporcionarmos ao alunado uma base desde o ensino fundamental”, destacou.

Associação comemora

Quem comemorou a aprovação do projeto na Câmara Municipal de Puxinanã foi a Associação de Professores de Espanhol do Estado da Paraíba. Em contato com o Blog do PP, o presidente, professor Jair Ibiapino, disse que a Paraíba é o primeiro o Estado no Brasil a garantir a língua espanhola no ensino médio de forma obrigatória desde 2017.

Segundo ele, outros municípios, como Areial, Esperança, Mogeiro e Santa Rita já incluíram o ensino da língua na educação fundamental e Puxinanã, através da proposta do vereador Didi da Farinha, também dá um importante passo no processo de descentralização da língua. “Eu acredito que somos o Estado onde mais se valoriza e luta pelo ensino de espanhol no Brasil hoje. Quando a gente descentraliza o ensino de espanhol a gente cria uma oportunidade para o aluno de escola pública ter acesso a uma outra língua estrangeira”, lembrou.    

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta