“Outubro Rosa” será lançado nesta terça na Feira Central

A Campanha Outubro Rosa, que conscientiza e intensifica as ações para o diagnóstico do câncer de mama entre as mulheres, será lançada pela Secretaria Municipal de Saúde nesta terça-feira (1), às 8h, na Feira Central de Campina Grande. Equipes da Secretaria de Saúde levarão vários serviços para o local, inclusive a marcação de mamografia para as trabalhadoras e comerciantes da feira.

O lançamento será realizado no espaço “Bom é na Feira”, localizado no mercado de carnes. As mulheres, moradoras de Campina Grande, deverão levar um documento de identificação oficial, comprovante de residência e o cartão do SUS para marcar a mamografia. No local, elas já saberão quando e onde vão realizar o exame.

A ideia de levar o lançamento da campanha para a feira, junto com diversos serviços, é alcançar aquelas mulheres que passam o dia na Feira Central e que não cuidam da sua saúde em função do trabalho. Além da marcação de mamografia e de outros serviços de saúde, uma médica vai tirar dúvidas sobre o câncer de mama.

A mamografia é indicada para mulheres entre 40 e 59 anos e deve ser realizada anualmente para mulheres com histórico de câncer de mama na família e bianualmente para mulheres sem registros da doença na família. O exame é o principal meio de detectar o câncer que, se diagnosticado precocemente, tem grandes chances de cura.

Além dessa ação serão desenvolvidas várias iniciativas, ao longo deste mês, em todas as Unidades Básicas de Saúde, no hospital da FAP, em shoppings, empresas, no Instituto dos Cegos e Clubes de Mães. Dentro da programação, está prevista também a caminhada rosa pelas ruas da cidade.

Número de procedimentos e casos – Em 2018, a Secretaria de Saúde de Campina Grande realizou mais de 50 mil mamografias, mais de 9 mil consultas com mastologistas e mais de 4 mil ultrassonografias mamárias, exame mais específico de rastreio do câncer de mama. Com relação à mortalidade, em 2015 e 2016, 40 mulheres da cidade morreram em função do câncer de mama. Em 2017, esse número caiu para 30 e em 2018 foram 34.

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta