Motorista que atropelou e matou três é liberado após depoimento

Os dois suspeitos de atropelar e matar uma mulher e uma criança em Areia, Brejo, além de deixar mais três feridos, entre eles uma criança que morreu no Hospital de Trauma de Campina Grande na semana passada, se apresentaram a Polícia Civil nessa quinta-feira (4), prestaram depoimento durante cinco horas e logo em seguida foram liberados. Eles irão responder pelo acidente em liberdade.

Segundo o advogado dos suspeitos, Júnior Meira, o veículo apresentou uma falha mecânica e isso teria provocado o acidente. O veículo será periciado pela polícia. O problema é que o carro foi retirado do local do acidente e apreendido apenas cinco dias depois. Ele estava em uma propriedade rural que pertence a familiares de um dos suspeitos, o que sugere a possibilidade de adulteração do veículo e aponta uma falha pericial grave, já que o veículo foi retirado do local do acidente “misteriosamente”.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Gilson Teles, os suspeitos alegaram que apenas um teria ingerido bebida alcóolica e esse seria o carona, Antônio José Gonçalves, dono do carro. Alison Teixeira Sobral disse que apenas estava acompanhando o amigo em uma bebedeira na zona rural e que não teria bebido. A questão é que ele não tem Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

O delegado disse ainda ter feito uma representação de prisão preventiva junto a Comarca de Areia, porém a juíza diretora do Fórum Desembargador Aurélio de Albuquerque, Alessandra Varandas Paiva Madruga de Oliveira Lima, ainda não teria respondido a representação.

Relembre o caso  

Alison Teixeira Sobral, motorista, e Antônio José Gonçalves, proprietário do veículo, estavam no carro tipo veraneio que invadiu uma residência e matou Laudecy Cruz do Nascimento, de 33 anos, e Rai João da Lima, de nove anos e enteado da mulher. O caso aconteceu no último dia 22 de setembro, um domingo à noite, quando as vítimas se preparavam para ir a uma missa. O pai e esposo das vítimas e mais duas crianças foram socorridas para o Hospital de Trauma de Campina Grande, onde na semana passada Jasmin Gabriele de Lima, de seis anos, não resistiu a gravidade dos ferimentos e morreu.

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta