CT: Candidato denuncia uso de estrutura pública e grupo vai pedir anulação de eleição

Um grupo de candidatos derrotados nas eleições do Conselho Tutelar de Campina Grande, realizadas no último domingo, promete protestar contra o resultado do pleito e pedir a anulação do resultado. Segundo eles, existiu compra de votos, promessa de moradia no complexo habitacional Aluízio Campos e até uso da estrutura pública com promessas envolvendo a Secretaria de Assistência Social (Semas). Cerca de 50 pessoas são esperadas para o movimento, que deve acontecer na manhã desta terça-feira (8) em frente a Casa dos Conselhos e também na sede do Ministério Público em Campina Grande.

Ao todo, foram eleitos 20 candidatos e mais 20 suplentes. Os eleitos devem assumir o trabalho a partir do dia 10 de janeiro de 2020.

O bacharel em direito Fabiano de Souza foi candidato na zonal sul e obteve 214 votos. Segundo ele, houve compra de votos, promessas de doação de casas do Aluízio Campos por parte dos candidatos e até uso da estrutura pública para assegurar votos. “Fizeram da forma como quiseram, sem nenhum tipo de respeito ao eleitor. Quase a totalidade das pessoas comprovaram isso. O Ministério Público não estava presente, o Conselho de Direito (da Criança e do Adolescente) fazendo vistas grossas, permitia que o candidato fizesse boca de urna dentro da sessão eleitoral. Ônibus eram transportando eleitores para votar, pessoas sendo abordadas nos locais de votação. Promessas de candidatos das casas do Aluízio Campos. Também pessoas ligadas a Semas prometendo várias coisas. Essa secretaria estava completamente ligada ao Conselho Tutelar, quando esse deveria ser independente”, denunciou em entrevista à Campina FM.

Márcia Nogueira foi candidata na zona oeste e teve 624 votos. Ela disse que não houve organização para o pleito e que até vereadores participaram de irregularidades. “Não houve organização para a quantidade de pessoas que foram votar. Eram filas enormes, pessoas passando mal. Ônibus chegando, um atrás do outro, lotados. Eu me sinto angustiada. Eram vereadores em cima pedindo voto. Desigualdades absurdas. Espero que essa eleição possa ser impugnada para que seja feita de forma séria”, relatou.

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta