Empresário que mandou matar padrinhos é condenado a 68 anos

Nelsivan Marques de Carvalho, acusado de mandar matar os padrinhos do casamento no dia do matrimonio, foi condenado a 68 anos de prisão nesta segunda-feira (9). A decisão do 2º Tribunal do Júri foi lida pelo juiz Horácio Ferreira de Melo, na noite desta segunda-feira (9) após cerca de 12h de julgamento. O caso aconteceu no dia 29 de março de 2014, quando Washington Luiz Alves de Menezes e Lúcia Santana Pereira foram assassinados a tiros na saída da festa, que aconteceu em uma casa de recepções no bairro do Catolé. Ele vai recorrer da decisão ao Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB).


Já Maria Gorete Alves Pereira, também julgada no dia de ontem, foi considerada inocente pelos jurados. Já um jovem identificado como Aleff, que também teria participação no crime, será julgado no próximo dia 18. Nesta segunda-feira ele não tinha advogado que o representasse.
Segundo o promotor Márcio Gondim, Nelsivan agiu de maneira fria e calculista com o intuito de ficar com os bens do casal, já que eles eram sócios em uma universidade particular de Campina Grande.


Durante o julgamento, a defesa de Nelsivan alegou que não havia provas suficientes da participação dele nos crimes, mas os argumentos não convenceram os jurados.


Dos seis denunciados pelo MP, cinco já foram julgados. Franciclécio de Fárias Rodrigues foi condenado a 54 anos e seis meses de reclusão em regime inicialmente fechado. Gilmar Barreto da Silva foi condenado a 37 anos e quatro meses de prisão. Já Samuel Alves da Silva, executor do crime a mando de Nelsivan, vai cumprir uma pena de 42 anos de reclusão. Nelsivan pegou a pena mais alta e Maria Gorete foi considerada inocente, restando apenas o julgamento de Aleff.

FOTO ARTHUR LIRA

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta