Homem mata amante e depois se mata em Puxinanã

Dois corpos foram encontrados dentro de uma casa na Rua Laurinda do Nascimento Gomes, no Centro de Puxinanã, na manhã desta quinta-feira (9).

Na sala da residência estavam mortos Juscilene Nascimento Bezerra, de 21 anos, e um companheiro de trabalho dela identificado como Jonas Mariano da Costa, de 28 anos.

Havia um revólver próximo ao corpo de Jonas, conforme informações da polícia militar, o que indica um homicídio seguido de suicídio.

Os dois trabalhavam juntos no setor de serviços gerais de uma escola estadual em Puxinanã.

Os corpos foram encontrados pelo marido de Juscilene, que chegou do trabalho nas primeiras horas da manhã. Ele trabalha em uma fábrica de sandálias no Distrito Industrial de Campina Grande.

Fazia uma semana que Jean e Juscilene estavam morando no local.

De acordo com o marido da jovem, assim que chegou a residência, encontrou os corpos próximos um do outro.

O viúvo disse que tanto a mulher, quanto o homem estavam vestidos e não havia sinais de que tivesse ocorrido luta corporal e casa também não estava revirada.

No momento do ocorrido (por volta da meia-noite) duas crianças estavam na residência.

Segundo a PC, essas crianças estavam dormindo num quarto e não ouviram tiros.

Uma delas, uma menina de sete anos, é filha de Juscilene com o marido.

O caso chamou a atenção de moradores de Puxinanã.

Um grande número de pessoas  se aglomerou no local.

O SAMU ainda foi solicitado pela polícia militar apenas para confirmar os óbitos.

As três famílias estão perplexas com o ocorrido.

Jonas era filho do ex-vereador de Puxinanã, José Francisco da Costa, “Nêgo”.

O delegado Kelson Vasconcelos afirmou em entrevista a imprensa que o marido de Juscilene confirmou que ela tinha um caso extraconjugal.

O delegado também afirmou que Jonas matou Juscilene e depois cometeu suicídio, porém as investigações ainda continuam.

Ainda noite da quarta (08), Jonas teria colocado mensagens numa rede social dando a entender que cometeria faria algo terrível.

BLOG DO RENATO DINIZ

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta