Prazo para vacinação contra febre aftosa é aumentado em um mês em CG

Com um estoque de aproximadamente 1.100 doses de vacina contra a febre aftosa, a Secretaria municipal de Agricultura (Seagri), espera imunizar, até o dia 31 de julho de 2020, todos os rebanhos de bovinos e bubalinos pertencentes aos pequenos agricultores de Campina Grande. Inicialmente, este prazo era até 30 de junho.

A estimativa é do próprio secretário da Agricultura, Renato Gadelha, com base em dados do ano passado, quando a cobertura da vacinação contra a febre aftosa alcançou quase 100% dos animais criados nos sítios e assentamentos dos distritos de Galante, Catolé de Boa Vista e São José da Mata.

A febre Aftosa é uma doença infecciosa altamente contagiosa que atinge animais de cascos bipartidos de todas as idades. A sua transmissão se dá pelo ar, água e alimentos contaminados. Os primeiros sintomas são febre alta, falta de apetite e feridas ao redor dos cascos e das tetas. Essas males também afetam o leite e a carne dos animais.

De acordo com normas estabelecidas pela Defesa Agropecuária do Estado da Paraíba, todos os bovinos e bubalinos (búfalos) devem ser vacinados contra a febre Aftosa, independentemente da idade do animal.

Os proprietários dos rebanhos, por seu turno, têm prazo de até 10 dias, a contar da data da vacinação, para apresentar à Defesa Agropecuária o documento chamado de Anexo 13, acompanhado do frasco da vacina, para comprovar que realmente seus animais foram imunizados contra a febre Aftosa. Do contrário, estarão sujeitos às sanções legais.

A campanha contra a febre Aftosa, segundo o secretário Renato Gadelha, é bancada em sua totalidade pela Prefeitura municipal de Campina Grande, desde a aquisição dos medicamentos até à sua respectiva aplicação, por intermédio dos profissionais da Seagri.

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta