Suspeito de roubar equipamentos de 12 agências bancárias em CG é preso

A Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) de Campina Grande, prendeu nessa quarta-feira (25), o homem suspeito de furtar equipamentos de informática de 12 agências bancárias da cidade.

Ele vinha sendo investigado há cerca de dois meses, quando iniciaram os crimes, e já havia sido identificado, mas o fato de ele não ter residência fixa dificultava a localização do seu paradeiro.

O suspeito foi preso nas proximidades do Instituto dos Cegos, no bairro da Liberdade, vestindo um capuz e portando uma mochila. Nela, havia um alicate e uma espátula, além de uma pequena quantidade de crack para consumo.

De acordo com o delegado Diego Beltrão, o suspeito não apenas confessou o crime, como indicou mais um comprador de dois computadores furtados das agências. Ele disse ter vendido os equipamentos pelo valor de R$ 100 cada um.

“Trata-se de um andarilho que tem certa habilidade de invadir os estabelecimentos bancários para furtar esses equipamentos e utilizar o dinheiro de sua venda para sustentar seu vício nas drogas. Como nós temos diversas imagens dele dentro dos bandos, ele também não teve como negar os crimes”, disse o delegado.

Material apreendido

Os policiais foram até a casa do suposto receptador, indicada pelo suspeito, no bairro da Liberdade, e apreenderam várias peças de CPUs e monitores de origem duvidosa, já que não apresentou nota fiscal de nenhuma delas. Todo o material foi apreendido e levado para a Central de Polícia Civil. O possível comprador dos objetos roubados também foi levado à delegacia.

A agência de nº 12

No último domingo, 22 de novembro, a agência do Banco do Brasil localizada em frente ao Parque da Criança, no bairro do Catolé, em Campina Grande, foi invadida pelo suspeito. O gerente chegou a acionar a Polícia Militar, mas o invasor já havia saído do local com três processadores e três monitores de computador. O crime ocorreu por volta das 22h.

A porta de vidro na entrada da agência estava aberta, e ao lado dela foi encontrada uma barra de ferro, em formato de ‘gancho’, provavelmente utilizada como ferramenta para invadir o banco. Foi a 12ª agência bancária atacada pelo suspeito preso pela DRF da Polícia Civil.

A apreensão

Confira abaixo o material apreendido pela DRF nessa ação:

04 pedras de substâncias sólida amarelada que se presume ser crack;
02 CPUs marca datasonic;
03 CPUs marca plugpc;
01 CPU marca philco;
04 CPUs sem marca aparente;
03 CPUs marca flex pc;
01 CPU marca zmax;
01 CPU marca megaware;
04 CPUs marca semp toshiba;
01 CPU marca asus;
01 CPU marca dell;
01 CPU marca positivo;
01 CPU marca qbex;
01 CPU marca kelow;
01 CPU marca nb;
01 impressora marca hp;
21 fontes de alimentação;
05 placas mãe;
09 monitores marca samsung;
06 monitores marca lg;
01 monitor marca beng;
01 monitor marca positivo;
01 monitor marca dell;
01 monitor marca aoc;
01 painel eletrônico “dirija-se ao caixa”;
01 teclado;
03 switch tp-link;
01 aparelho eletrônico cisco 1800 series;
01 alicate;
01 espátula;
01 boné do time de futebol “treze”;
01 casaco de cor vermelha;
01 mochila;
02 roteadores brisanet;
01 roteador vivo.

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta