Governo Federal lança nesta quarta campanha publicitária de vacinação que custou R$50 milhões

O governo federal promete lançar nesta quarta-feira (20) a campanha publicitária “Brasil imunizado. Somos uma só nação”. As peças publicitárias ressaltam que as vacinas autorizadas pela Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária) já estão sendo distribuídas em todo o país. A campanha terá duração de 6 meses e foi criada pela agência nova/sb. O valor do contrato é estimado em R$ 50 milhões, o que faz dessa campanha uma das ações de marketing mais caras do governo de Jair Bolsonaro.

Em nota, o Ministério da Saúde diz que a campanha busca “mostrar à sociedade a capacidade do país de promover a vacinação contra a covid-19”. Uma das peças que compõem a campanha é um vídeo com duração de 1 minuto no qual são apresentadas as diferenças sociais e geográficas no país e a estrutura de logística usada para a distribuição das vacinas.

O filme mostra cidadãos das cinco regiões. Na 1ª cena, um sertanejo idoso tira a viola de um armário e afina as cordas do instrumento enquanto visualiza fotos com amigos, como se estivesse se preparando para revê-los.

O texto que acompanha o vídeo destaca o “gigantismo do Brasil”.

“O Brasil é gigante… O desafio de vacinar os brasileiros também, e vai além da saúde, por se tratar de uma questão humana, social e econômica.”

Em outro momento, uma médica com equipamentos de proteção segura a mão de um paciente.

Na peça, há também imagens de laboratórios de pesquisa e de operações de logística feitas por Aeronáutica, Exército e Marinha, e trechos que mostram o transporte da vacina em aviões e caminhões, além de imagens do processo de vacinação com profissionais de saúde. A propaganda também mostra o aplicativo Conecte SUS.

O final do filme tem cenas de pessoas com máscaras, que lavam as mãos e utilizam álcool em gel, e um letreiro que reforça a necessidade de proteção enquanto a vacina não chega a todos

A campanha tem outros dois filmes, sendo um de 30 segundos e outro de 15 segundos, além de peças para rádio e mídia impressa. Haverá uma 2ª fase da campanha com a convocação dos grupos prioritários para a vacinação.

O 1º grupo, definido pelo Ministério da Saúde, inclui idosos a partir de 60 anos, pessoas com mais de 18 anos que têm alguma deficiência e que vivem em instituições, trabalhadores da saúde da linha de frente e população indígena.

PODER360

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta