Prefeito mostra números de Campina Grande e questiona bandeira laranja “Se quiserem nos ajudar, ajudem a fiscalizar ainda mais”

O prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), se pronunciou, extraoficialmente, na noite desde sábado (6), após a divulgação da vigésima avaliação do Plano Novo Normal, que coloca Campina Grande e mais 210 municípios paraibanos em bandeira laranja, que assim como a vermelha (oito cidades) impõe medidas de restrições mais duras à população. Em linhas gerais, Bruno questionou o remanejamento da cidade para bandeira laranja quando a ocupação de leitos de UTI na Rainha da Borborema está abaixo de 50%, apesar de afirmar entender a situação de avanço da doença na Paraíba e no Brasil, bem como a necessidade da utilização de medidas mais urgentes para conter o avanço da doença.

Bruno informou que neste domingo (7) à tarde vai participar de uma videoconferência com o Governo do Estado, Prefeitura Municipal de João Pessoa, Ministério Público da Paraíba, Ministério Público Federal e Tribunal de Constas da Paraíba.

“Não se pode negar que, aqui em #Campina, desde o início de tudo, estamos fazendo todos os esforços para garantir tratamento público de qualidade e em quantidade suficiente para atender aos pacientes infectados pelo novo coronavírus. Basta ver os números da cidade. Hoje à noite, estamos com 48% de ocupação das UTI’s do Hospital Municipal Pedro I. Nos últimos 15 dias, internamos (enf+UTI) 117 pacientes, dos quais 69 eram de #Campina. Os outros 48 vieram de cidades espalhadas por todo o estado. Nunca negamos vagas. Queremos ajudar!”, postou o prefeito em uma rede social. 

Qual o sentido de rebaixar #Campina de bandeira pelo fato de nossos leitos estarem ocupados por pacientes que vieram ser socorridos na cidade? Se quiserem nos ajudar, ajudem a fiscalizar ainda mais o comércio, os restaurantes, os campos de futebol, os bares, as igrejas.”, afirmou. 

Confira abaixo a sequência de postagens que o prefeito fez na noite desta sábado na rede social Twitter:

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta