CASO PATRÍCIA: Pai de suspeito diz estar recebendo ameaças

O pai do suspeito de assassinar Patrícia Roberta denunciou à Polícia Civil que está sendo vítima de ameaças e perseguição, em João Pessoa. Ele registrou boletins de ocorrência na última semana.

Márcio Falcão denunciou que sofreu ameaças do pai de Patrícia Roberta, no dia 27 de abril. O boletim de ocorrência diz: “Além das ameaças recebidas, o sr. Paulo Roberto Gomes da Silva, por meio de palavras, incita cometimento de crime em face do notificante e de seu filho”. Outro trecho diz: “Depois das ameaças e ofensas, foi contido o sr Paulo Roberto em virtude de tentativas de agressão física contra o notificante”.

No dia 29 de abril, ele disse que “percebeu que estava sendo perseguido por um veículo gol branco, com vidros fumê”. Márcio afirma que foi vítima de “palavras injuriosas” por um pessoa que estava no carro. Ele ouviu que era “conivente com o crime, bandido, vagabundo, assassino como o filho, que nenhum aluno o procurasse como professor porque poderia ser pedófilo e que onde estivesse iria pegá-lo”.

No dia 30 de abril, outro boletim de ocorrência foi registrado pelo pai de Jonathan. Ele afirmou que foi perseguido por um homem em uma motocicleta, no bairro de Mangabeira. Em depoimento, ele disse que o motociclista” tirou a mão direita do guidão e colocou em baixo da blusa”. Márcio disse que colocou o veículo para cima do motoqueiro, batendo de raspão. O professor disse que fugiu do local, “mas ainda percebeu que o motoqueiro efetuou um disparo”.

O crime

O corpo de Patrícia foi encontrado no dia 27 de abril em avançado estado de decomposição em uma mata próxima a um condomínio em João Pessoa. Jonathan Henrique foi preso no fim da noite do mesmo dia. Ele é suspeito de assassinar e ocultar o cadáver da pernambucana de 22 anos.

Familiares denunciaram o desaparecimento após a jovem, que morava no município de Caruaru em Pernambuco, chegar a João Pessoa e interromper os contatos pelas redes sociais.

Com Portal T5

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta