Campina Grande adia homenagem aos garis por conta da pandemia

Nesta segunda-feira, 16 de maio, é o Dia do Gari, profissional responsável por manter as ruas, praças, canais, galerias e terrenos baldios limpos de todo lixo gerado naturalmente ou por ação da população. No sol, na chuva, de dia, de noite, de domingo a domingo, eles estão sempre dispostos a desempenhar sua função. Em tempos de pandemia, eles estão sendo mais exigidos, pois também atuam na higienização das áreas mais movimentadas e espaços públicos. Ao contrário de anos anteriores, em 2021, a Prefeitura Municipal não elaborou uma comemoração especial, como eles merecem, por conta da pandemia. Ano passado já não houve. Nos anos anteriores, a Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma), providenciava um café da manhã, com sorteio de brindes e momento musical, mas, ainda não é possível. No final do ano todos receberam uma cesta básica, entregue pelo ex-prefeito Romero Rodrigues. O prefeito Bruno Cunha Lima, garantiu que fará o mesmo em Dezembro, num reconhecimento a importância dos agentes de limpeza para o dia a dia da cidade.

Em Campina Grande, são 350 homens e mulheres, que desenvolvem as atividades na limpeza, desde varrição, capinação, podagem de àrvores, mas principalmente coleta domiciliar, que mesmo com serviço terceirizado, recebem o apoio da equipe da Sesuma.

O trabalho dos garis, começa cedo. Eles chegam ao Departamento de Varrição, que fica localizado no Parque do Povo, antes de 6h. Tomam café e em transporte são levados para os locais programados. O centro da cidade recebe toda atenção especial, por conta da produção maior do lixo urbano. Tem uns que fazem a varrição e outros que recolhem e levam para caixas coletoras, para depois serem depositados no aterro sanitário.

Dependendo do resíduo, são utilizados caçambas ou carros coletores, mas sempre com a presença do agente de limpeza. Além do salário, eles recebem gratificações por insalubridade e adicional noturno, para os que trabalham a noite.

Para o secretário interino da Sesuma, Josivaldo Salatiel ( O titular Geraldo Nobre está de licença), no Brasil este profissional ainda não recebe o devido respeito e visibilidade que merece, pois é graças ao seu trabalho que os cidadãos podem viver em uma cidade mais limpa e bonita. É muito importante cada indivíduo fazer a sua parte e não jogar lixo nas ruas, mas em Campina Grande, a Prefeitura Municipal tem estimulado esses profissionais com distribuição de fardamento, equipamentos e principalmente, tratamento humanitário .

“ O gari representa muita coisa boa para nossa cidade. È um ser humano espetacular, diferenciado, que acorda cedo, que se dedica; está o dia todo na cidade limpando. Não só hoje, mas nos 365 dias do ano ele está de parabéns, pelo amor a profissão e sua cidade., por isso vai merecer da nossa a parte e do prefeito Bruno Cunha Lima, o respeito e estima pela grande contribuição que dá ao Governo”, concluiu Josivaldo.

O termo “gari” surgiu em homenagem ao francês Pedro Aleixo Gary, que ficou conhecido por ser o fundador da primeira empresa de coleta de lixo nas ruas do Rio de Janeiro, em 1976.

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta