Pacientes com Covid-19 precisam ser transferidos com urgência para Campina Grande após acidente com caminhão que transportava oxigênio

Dez pacientes com Covid-19 precisaram ser transferidos com urgência de Patos para Campina Grande, na madrugada desta terça-feira (25), após um acidente envolvendo um caminhão com oxigênio que faria o reabastecimento da unidade sertaneja. Os pacientes estão internados no Hospital de Clínicas da Rainha da Borborema, que de acordo com boletim divulgado já na manhã de hoje está superlotado. A Secretaria de Saúde do Estado ainda não deu detalhes de como conseguiu disponibilizar os leitos para socorrer os pacientes. A transferência foi preventiva para diminuir o consumo na unidade enquanto a unidade esta sendo reabastecida.

O hospital de Patos se manifestou através de nota. Leia na íntegra:

“O abastecimento de oxigênio do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) sofreu um interrupção inesperada nesta segunda-feira (24), em função de um acidente envolvendo o caminhão que faria o reabastecimento da unidade, mas um mutirão que reuniu profissionais do Hospital de Trauma de Campina Grande e a direção geral, direção técnica e todas as coordenações do setor Covid e de Enfermagem do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) assegurou a transferência de 10 pacientes para Campina Grande e o aporte, através de cilindros extras, para que não faltasse oxigênio na unidade. O hospital tinha 20 torpedos de Oxigênio, conseguiu mais 15 torpedos e vai receber mais 50 torpedos que estão vindo de Mossoró (RN). Um caminhão extra está sendo abastecido no Cabo de Santo Agostinho, em Suape (PE), e chegará nesta terça-feira (25). A transferência dos pacientes para CG foi feita ainda durante a madrugada. Das 10 ambulâncias que fizeram o transporte dos pacientes, cinco delas vieram do Hospital de Trauma de Campina Grande e da segunda macro região de saúde e as outras cinco foram conseguidas de unidades da região da terceira macro. Graças ao esforço de todos a situação foi contornada sem prejuízo da assistência aos pacientes do Complexo.”

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta