Idoso de 71 anos é morto em casa de repouso com golpe de machado porque assassino se incomodava com barulho de andador

Um idoso de 71 anos foi morto com um golpe de machado na noite de segunda-feira (9), em uma casa de repouso para idosos, em Campina Grande. De acordo com a Polícia Civil, o principal suspeito é um homem de 60 anos, que teria cometido o crime por se incomodar com o barulho do andador da vítima durante a noite, quando se levantava para ir ao banheiro.

Segundo as informações dos proprietários da casa de idosos à polícia, duas cuidadoras estavam na casa durante a madrugada. No momento do crime, no quarto onde o senhor Euclidenor Pinto de Oliveira morreu, havia três idosos: a vítima, o suspeito e um outro idoso de 98 anos.

Quando Euclidenor estava dormindo, o suspeito teria ido até o local onde ficavam guardados os equipamentos de jardinagem, pegou o machado e foi até o quarto para matar o idoso. Segundo a polícia, o outro idoso que estava no quarto não levantou, nem reagiu, provavelmente por estar debilitado. Segundo as informações dele, a única coisa que viu foi o companheiro de quarto entrando com um machado e dizendo que iria matar uma cobra.

Após dar o golpe de machado, o suspeito teria voltado a dormir normalmente. Os idosos que estavam nos quartos ao lado informaram à polícia não ter ouvido nenhum barulho. Segundo os colegas da casa de idosos, o suspeito teria matado a vítima por não gostar do barulho que o andador fazia durante a noite.

O filho da vítima, Toninho Miranda, informou que responsabiliza a casa de repousos pela morte do pai e que não acredita que nenhum barulho tenha sido ouvido durante o crime.

“Nos informaram que meu pai tinha sido assassinado por um colega de quarto durante a madrugada. Ao que eles alegam, meu pai e esse outro idoso teriam discutido e acontecido essa tragédia. A gente está achando muito estranho porque desde o aniversário dele, no dia 31, e no dia dos pais, que a gente não consegue ter contato com ele. A única forma de falar com eles é pelo telefone do proprietário. A gente está muito confuso com isso tudo”, disse.

Para o filho da vítima, é muito estranho as cuidadoras não terem ouvido nenhum tipo de barulho durante o crime. Toninho, que mora no Rio de Janeiro, está a caminho de Campina Grande. A família pretende mover uma ação para responsabilizar a casa de repouso.

“Vamos mover uma ação. Ainda não sei como, pois não entendo juridicamente do processo, mas vamos buscar orientação”, disse.

O idoso suspeito foi levado para a carceragem da Central de Polícia. Ele deve ficar preso. Para a polícia, a administração da casa de repouso não teve responsabilidade e não vai responder criminalmente. Eles podem responder judicialmente caso a família entre com uma ação.

Com G1 PB

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta