POCINHOS: Homem é preso suspeito de abusar de netas, filho e praticar até zoofilia

Um homem foi preso em Pocinhos, Agreste, nesta terça-feira (17) suspeito de abusar sexualmente de duas netas, um filho e praticar até mesmo zoofilia, que é a relação sexual entre seres humanos e animais. A prisão foi fruto de uma ação conjunta da Polícia Civil do Rio de Janeiro e da Polícia Civil da Paraíba.

O preso é o avô paterno da criança que tem apenas oito anos de idade e sofreu abuso sexual. O crime aconteceu no Rio de Janeiro há dois meses e o autor praticava os abusos contra as próprias netas, sendo duas menores, uma de oito e outra de seis anos.

O estuprador fugiu do Rio de Janeiro, vindo se esconder na cidade de Pocinhos, mas seu paradeiro foi descoberto após minucioso trabalho de investigação da Polícia Civil do Rio, com o apoio da Polícia Civil da Paraíba.

Na ação de ontem, quando houve a prisão do suspeito, estavam presentes as equipes da 56ª DP (RJ) e equipes do GTE (Grupo Tático Especial) de Delegacia Seccional de Esperança. que cobre a área de Pocinhos.

Em depoimento, o tio da menina e filho do suspeito também relatou ter sido abusado quando criança. “Com a colheita dos termos de declarações dos pais da criança, de um tio paterno, que relatara também ter sido vítima do próprio pai, inclusive mencionando em detalhes o modo que ocorreram os abusos, além da Ata de Depoimento Especial da criança, a Autoridade Policial Titular, delegada Bárbara Lomba, instaurou o devido Inquérito Policial, e representou pela prisão do suspeito”, disse a delegada.

“Em posse do Mandado e realizando intenso trabalho de investigação e inteligência, os policiais da Unidade conseguiram identificar o local onde estava homiziado o autor dos fatos, que logo após tomar ciência de que havia investigações em seu desfavor fugiu para o Estado da Paraíba, acreditando que naquele local conseguiria se ver livre do rigor da Lei”, completou.

A ação foi exitosa e demonstra a importância da colaboração entre as Polícias para a resolução de casos como este. “O suspeito fugiu para o interior da Paraíba pensando que aqui não seria localizado, mas temos uma investigação efetiva e estamos dispostos a colaborar com os colegas de outros Estados para retirar da sociedade esses criminosos”, concluiu o delegado seccional de Esperança, Cristiano Santana.

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta