Discussão a respeito da não obrigatoriedade do uso de máscara está prestes a ser iniciada em Campina Grande, revela secretário

Já existe uma previsão para que a não obrigatoriedade do uso de máscaras passe a ser uma realidade em Campina Grande. A data depende do percentual de vacinação de campinenses com a segunda dose da vacina contra a Covid-19. E o percentual mínimo de campinenses imunizados com a segunda dose para que a discussão seja inicial é 60%, segundo o secretário de saúde da Rainha da Borborema, Gilney Porto.

“A vacinação de primeira dose a gente já atingiu 92%. A vacinação em segunda dose a gente já atingiu 57%. Eu acredito que a gente chegando a 60% do público vacinado a gente vai iniciar essa discussão interna com a Vigilância Sanitária, a Vigilância Epidemiológica que tem avaliado o cenário de baixa internação junto com a equipe do Pedro I”, revelou em entrevista ao programa Revista 101, da Rádio Cariri, no final da tarde desta terça-feira (26).

O secretário defendeu durante a entrevista aos jornalistas Silas Batista e Paulo Pessoa a não obrigatoriedade do uso de máscaras e o aumento de público em eventos sociais. “A gente se pergunta: qual é a função da vacina? Se a gente não voltar a ter o convívio social, a ter a normalidade… A gente vêm avançando nos eventos sociais no que diz respeito a presença do público nos estádios de futebol… o meu ponto de vista pessoal é que a gente possa avançar com a libração de máscaras e a presença de públicos nos eventos sociais”, pontuou.

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta