CG inicia pré-cadastro para vacinação de crianças de 5 a 11 anos

O prefeito Bruno Cunha Lima anunciou que o município de Campina Grande deve iniciar a vacinação contra a Covid-19, para crianças de 5 a 11 anos de idade, nos próximos dias e convocou os pais e/ou responsáveis para realizarem o pré-cadastro dos filhos para a campanha de imunização.

Os pais e/ou responsáveis devem realizar o pré-cadastro no site vacinacao.campinagrande.pb.gov.br ou pelo aplicativo Vacina Campina, pois a vacinação será realizada por meio de agendamento. A campanha será iniciada pelas crianças com comorbidades, logo, os pais devem atentar para isto no momento do pré-cadastro, caso os filhos apresentem alguma comorbidade.

“Nós sabemos que todos estão bastante ansiosos por esse momento, que representa proteção para as nossas crianças. Por isso, estamos montando uma logística especial, que vai inclusive levar a oferta da vacinação em escolas públicas e privadas, para que possamos atingir o maior número de meninos e meninas imunizados”, disse o prefeito.

A vacinação das crianças é facultativa e a decisão cabe aos pais e/ou responsáveis e não é exigida prescrição médica. Diversos órgãos de saúde pública e coletiva, como a Organização Mundial da Saúde, emitiram pareceres recomendando a aplicação da vacina nas crianças de 5 a 11 anos de idade.

A vacina pediátrica é especial, tem apenas um terço da dosagem da vacina adulta e é aplicada em duas doses no intervalo de 8 semanas. As equipes da Coordenação Municipal de imunização estão passando por treinamento esta semana para a administração da vacina. Os efeitos colaterais são os mesmos registrados em adultos e adolescentes, como dor e inchaço na região da aplicação, febre e mal-estar. Em casos raríssimos de reações adversas, foram registrados episódios de miocardite em adolescentes e adultos vacinados.

Apesar dessa possibilidade remota, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) avaliou que os benefícios são maiores que os riscos, visto que mais de 3 mil pessoas nessa faixa etária morreram de covid-19 no país e que as crianças podem ser vetores de transmissão, já que geralmente são assintomáticos quando infectados, principalmente diante da nova variante Ômicron.

Paulo Pessoa Autor

Deixe uma resposta